quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Meu Amor,Meu Amor...


Meu Amor, Meu Amor, Meu Limão de Amargura
 Meu corpo em movimento

Minha voz à procura

Do seu próprio lamento

Meu limão de amargura

Meu punhal a crescer;

Nós parámos o tempo

Não sabemos morrer

E nascemos nascemos

Do nosso entristecer.



Meu amor meu amor

Meu pássaro cinzento

A chorar a lonjura

Do nosso afastamento.



Meu amor meu amor

Meu nó de sofrimento

Minha mó de ternura

Minha nau de tormento:

Este mar não tem cura

Este céu não tem ar

Nós parámos o vento

Não sabemos nadar

E morremos morremos

Devagar devagar
My body in motion

My voice to demand

For it´s own regret

My bitter lemon

My dagger in growth;

We stopped time

We do not know how to die

And we were born born

From our sorrow.



My love my love

My gray bird

The cry in the distance

Of our remoteness.



My love my love

My knot of sorrow
My millstone of tenderness

My ship of torment:

This sea is no cure

This heaven has no air

We stopped the wind

We cannot swim

And we die we die

Slowly slowly




1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar